Au Pair

Entrevista – Male au pair com Marco Aurélio

Posted on in Au Pair · Entrevistas
Hey! No post de hoje trago a primeira entrevista daqui do blog. Convidei o Marco Aurélio pra contar como está sendo a experiência dele como Male au pair. Vamos lá?

Ingrid- Qual seu nome? Quantos anos você tem? De qual parte do Brasil você é?

Marco Aurélio– Olá, meu nome e Marco Aurélio, tenho 26 anos e sou de Itupeva, interior de São Paulo. Atualmente sou Au Pair em Houston, Texas.

Ingrid- Quando e como descobriu sobre o programa au pair?

Marco Aurélio- Eu descobri o programa de Au Pair a muito tempo (mais de 10 anos), porém que ele também se estendia para homens somente no final de 2016 enquanto ajudava uma pessoa a pesquisar sobre possíveis tipos de intercambio.

Ingrid – As regras do programa au pair para homens funciona do mesmo jeito do que para mulheres? Digo, vocês precisam entregar algum documento, ou qualquer outra informação diferente do que se é pedido pra au pairs mulheres?

Marco Aurélio- A unica diferença do processo para homens e mulheres, é que nós homens temos que apresentar uma quantidade maior de horas de experiência com crianças. No tempo do meu processo, enquanto o requisito de experiência com crianças eram de 200 horas para mulheres, para os homens eram entre 800 e 1.000 horas, incluindo experiências com under 2 (crianças abaixo de 2 anos) – lembrando que este requisito pode ser diferente entre agências. Do restante, o processo é idêntico.

Ingrid- Quanto tempo levou até você encontrar uma host family?

Marco Aurélio- Praticamente o tempo de gestação de uma gravidez (risos). Eu fiquei online em Janeiro de 2017 e fechei match em Agosto. Em setembro aqui estava, na terra do Tio Sam. Durante este tempo conversei com 4 famílias (trocas de profile e skype), e tive uma média de 16 famílias que entraram no meu perfil (porém que só entraram mesmo, nenhum contato feito… rs). Para os ansiosos que estão lendo, não se preocupem pois cada caso é um caso. Conheço male au pair que tiveram match em questões de dias online.

Ingrid- Como definiria a sua experiência no exterior? Relacionado as crianças, host family.

Marco Aurélio- Por mais que ainda seja tudo muito recente, está sendo uma experiência fantástica. Eu abri mão de um emprego em uma multinacional dos “sonhos” (entre aspas.. risos), de um salario “bom” (entre aspas de novo), para como dizem muitos: “ser baba nos Estados Unidos.. limpar b*mb*m dos outros”. Mas todos dias agradeço por ter aceitado este novo desafio para mim. Sinto me evoluindo um pouco a cada dia que passa.

O relacionamento com a minha família é muito sadio, tanto com os hosts parents quanto com as minhas kids (que no caso são 3). Claro que não é tudo flores todos os dias (todos tem os seus dias, né?), mas é um convívio muito saudável e de muito respeito. Meus hosts sempre me perguntam se preciso de algo, se estou bem, e como está a saudade da família e dos amigos no Brasil. Uma preocupação que sinceramente eu contava que não teria.. (risos). Então acredito que foi um match de sucesso (que assim seja ate o final do meu ano).

Ingrid- Você acredita que é mais difícil pra um au pair homem? Por quê?

Marco Aurélio- Com relação a encontrar uma família: talvez. Por mais que o numero de male au pair aqui nos EUA esteja aumentando gradativamente, a procura maior ainda são por au pairs do sexo feminino.
Com relação ao trabalho: Não. Só estejam ciente que aqui vai ter tarefas que incluem cozinhar, lavar louça/roupa… Então para os homens no Brasil que não tem estes tipos de responsabilidades dentro de casa, estejam cientes que aqui terão (risos).

Ingrid- Imagine que você é o host dad ou host mom, qual seria a vantagem em ter um au pair homem? Digo, o mais comum é encontrar au pairs mulheres, caso uma host family queira um au pair homem eles precisam procurar bem mais.

Eu ate hoje me pergunto: se eu tivesse um filho(a) pequeno, eu contrataria um homem para ajudar a cuidar dela? (risos). Mas uma vantagem que eu vejo, por exemplo, é ter a figura de um “irmão mais velho” dentro de casa, principalmente quando se trata somente de uma kid.

Ingrid -Você acredita que tem um padrão de host family que aceita male au pair?

Marco Aurélio- Eu não usaria o termo padrão, mas sim as necessidades da host family! No meu caso por exemplo, eles optaram por um male au pair por eles julgarem que devido uma das crianças ser special need (precisar de cuidados especiais), um male au pair seria”`mais forte” para levantar ele da cadeira de rodas e colocar na cama, por exemplo. Porém conheço au pair mulheres que são bem mais fortes que eu (rs).
Então creio que existem necessidades que a host family julga se adequarem melhor para um male au pair por exemplo.

Ingrid- Pretende ser au pair de novo?

Marco Aurélio- Talvez seja uma possibilidade. Não sei ainda se irei estender meu segundo ano aqui nos EUA, mas durante as minhas pesquisas eu encontrei agências no Brasil que ofereciam o programa de Au Pair para Holanda e China por exemplo.. quem sabe, né?

Ingrid- Qual dica ou conselho você daria pra um male au pair que está começando a procurar uma host family agora? 

Marco Aurélio- Primeiramente: P-A-C-I-Ê-N-C-I-A! (risos). Sim, existem casos de pessoas que vieram para cá com uma semana online, outras com quase 12 meses! Então tenha paciência. Tudo tem o seu devido momento. Seja sincero consigo e com a host family! Não minta no seu perfil. Você estará cuidando do bem mais precioso que um pai e uma mãe poderiam ter: os filhos. E enquanto você estiver no Brasil, tente ir sempre melhorando seu perfil, desde as horas de experiências com kids, quanto o seu nível de inglês. Quanto melhor preparado você estiver aí, garanto que mais prazeroso será sua experiencia aqui.

Espero que tenham gostado!

Abs,
Marco Aurelio
marco.fatec@yahoo.com.br

Fim da Entrevista.

Eu já sou au pair por quase 3 anos, e nunca conheci nenhum male au pair, foi ótimo ter o Marco Aurélio aqui pra contar um pouco da experiência pra gente. Obrigada!!

Toda sexta-feira eu vou trazer uma entrevista diferente aqui no blog. Então comentem sempre o que vocês gostariam de ver por aqui.

Vejo vocês no próximo post!

Não esqueçam de se inscrever no meu canal do youtube!

Instagram: @ingridcostablog

Fanpage:https://www.facebook.com/ingridcostab…

Beijos, Ingrid Costa!

2 Replies to “Entrevista – Male au pair com Marco Aurélio”

  1. Adoro entrevistas, relatos, traz experiência de quem foi male au pair na Europa, se você conhecer algum ;3
    Ingrid, você já foi com um nível de inglês bom para a Holanda? Acha que evoluiu na língua morando lá, mesmo sendo segunda língua?
    Sou tiete desse blog mesml, 2bjs

    • Oi Isa! Obrigada ❤️ Eu quando fui já falava inglês direitinho. Mas morar aqui me deu mais confiança sabe?! Hoje posso resolver qualquer problema em inglês sem gaguejar, e sem pensar é automatico. Beijos! ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *